Páginas

segunda-feira, 18 de março de 2019

Lótus


Todos nós usamos máscaras e interpretamos um papel na vida. Isso, de certa forma, é importante por que nem todo mundo está preparado para nos aceitar exatamente como somos e, muitas vezes, nem nós mesmos conseguimos nos aceitar. É a tal máxima que vive a nos perseguir: "a verdade dói"!

Esse tipo de comportamento, baseado no ego, nos permite e até condiciona a interação com a realidade, ajudando no isolamento de nossos instintos primitivos e mantendo-nos dentro de uma certa ética e moral de acordo com a cultura e a época da sociedade em que vivemos. Porém, algumas pessoas, por terem a capacidade de interpretar, de se camuflar, criar personagens, personalidades distintas, por motivos de distúrbios mentais, ou por lembrar de detalhes de vidas passadas, acreditando ser essa ou aquela pessoa, utilizam-se de diversos tipos de egos, tanto na vida real quanto na vida virtual, acabando por desequilibrar o ser individual real dentro delas mesmas.

Criar, por exemplo, um perfil numa rede social para divulgar e promover um trabalho, uma empresa ou uma celebridade, utilizando-se de um nome artístico ou um nome fantasia é completamente aceitável e muito comum hoje em dia. A grande diferença é quando a personalidade criada para o serviço de divulgação se confunde com a pessoa real que está do outro lado da tela. Esse tipo de atitude é preocupante, visto que a pessoa está se desconectando do seu Eu interior. Levando o indivíduo a um mundo paralelo, onde podem ocorrer paranoias, julgamentos inverídicos de situações e de outros seres humanos, dificultando a convivência online e também offline pois, a nova personalidade está mais direcionada aos seus instintos primitivos, o que a transforma numa persona sensível às opiniões alheias, acreditando que estão sempre erradas e as afasta por não conseguir lidar com as contrariedades. 

Lembre-se que somos seres em evolução, estamos sempre caindo e errando por que é dessa forma que aprendemos a nos aprimorar, nos melhorar e passar para um nível moral, espiritual e intelectual mais elevado. O que não nos exime de novos erros e novas quedas pois é errando que se aprende e é na dor que nos depuramos. "Não se poder ver o Reino de Deus se não nascer de novo" (João, 3:3), ou seja, "todo conhecimento realmente profundo implica contato com o centro. Ou, como disse Jesus: "terás de morrer para o velho antes de nascer para o novo" (Danah Zohar e Ian Marshall em Inteligência Espiritual)".  

É por isso que devemos, tão logo consigamos, começar a realizar nossa reforma íntima, não espere uma nova encarnação para recomeçar, para se conectar consigo mesmo e eliminar todas as imperfeições de seu interior. Se o mundo da internet está atrapalhando o desenvolvimento de sua flor de Lótus, desplugue-se! Entretanto, analise todas as situações, verifique por que está dando errado, qual o motivo do seu descontentamento. 

Não se julgue uma pessoa estranha, louca ou diferente (no sentido pejorativo) pois somos todos diferentes e, ao mesmo tempo iguais, não cometa bullying com você mesmo. Permita-se ser, mas ser você mesmo, na sua essência, mostre-se mais, compartilhe a beleza de seu interior, deixe a sua aura fluir e se regenerar. Desfaça-se de todas as energias negativas criadas com as personalidades virtuais. Acabe com todas elas! Deixe-as ir naturalmente, fique apenas com as características próprias de seu ser, com a firmeza e a coerência do seu real modo de agir. Seja UNO, viva na totalidade, na integralidade. Seja o perfil de você mesmo em sua completude!

A Guria Dourada


Nenhum comentário: