Páginas

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

'Wildest dreams', clipe de Taylor Swift, é acusado de racismo

Vídeo foi filmado na África, mas não tem negros, aponta mídia americana.
Cantora interpreta atriz dos anos 1950 ao lado de Scott Eastwood.

Taylor Swift no clipe de 'Wildest dreams' (Foto: Divulgação)

Taylor Swift lançou o clipe da música "Wildest dreams" no domingo (30) e está recebendo críticas e acusações por parte da mídia norte-americana. Clique aqui para ver o vídeo.

O vídeo foi filmado em um local não revelado na África e dirigido por Joseph Kahn. Ele conta a história de dois atores dos anos 1950 que se relacionam durante a gravação de um filme na África. Taylor Swift aparece morena e contracena com Scott Eastwood, filho do ator e cineasta Clint Eastwood.

Segundo o site da "Hollywood Reporter", vários veículos apontaram que o clipe só retrata animais selvagens e pessoas brancas. "Curiosamente, não há uma pessoa negra à vista", diz Madeleine Davies, do site Jezebel. O título de um artigo da revista "Fader" sobre o vídeo Fader diz "Taylor Swift foi para a África filmar um clipe e só há brancos nele". O Huffington Post, o Mic e The Daily Dot também criticaram Swift pelo vídeo.

Lauren Duca, do Huffington Post, afirmou que o clipe "veicula colonialismo selvagem". "Em vez da apropriação cultural que se tornou quase status quo na música pop de hoje, Swift optou pela opção mais ousada ao apenas incorporar a exploração política de uma região e de seu povo."

"O vídeo quer ter seu romance old-school de Hollywood, mas acaba propagando o racismo old-school de Hollywood também", escreveu Nico Lang, do Daily Dot. "Só porque você está representando o passado ou pagando respeito a ele, não significa que você precisa recriar seus piores aspectos."


Taylor Swift e Scott Eastwood no clipe de 'Wildest dreams' (Foto: Divulgação)


Postar um comentário

Follow My Spotify Playlist!