Páginas

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

"Tim Maia - Vale Tudo" ganha curta temporada em Porto Alegre


Musical fica em cartaz de 1º a 3 de novembro no Teatro do Bourbon Country


Espetáculo fica em cartaz de 1º a 3 de novembro no Bourbon Country 
Crédito: Caio Gallucci / Opus Promoções / Divulgação / CP


Grande fenômeno do teatro nacional nos últimos dois anos, o musical “Tim Maia – Vale Tudo” chega a Porto Alegre pela primeira vez em curta temporada. Com direção de João Fonseca e texto de Nelson Mota, o espetáculo fica em cartaz no Teatro do Bourbon Country de 1º a 3 de novembro , sexta e sábado às 21h, e domingo, às 16h.

No espetáculo, grandes sucessos como, “Vale Tudo”, “Do Leme ao Pontal”, “Cerejeira Rosa”, “Azul da cor do Mar”, “Primavera”, “Padre Cícero”, “Eu amo Você”, “Não quero dinheiro”, “Chocolate”, “These are the Songs”, “Gostava Tanto de você”, “Sossego”, “Acende o Farol” e “Você”, são ouvidas e cantadas.

O elenco é encabeçado por Danilo de Moura, que substitui Tiago Abravanel. Izabella Bicalho, Lilian Valeska, Pedro Lima, Andreh Viéri, Bernardo La Rocque, Reiner Tenente, Evelyn Castro, Pablo Ascoli, Aline Wirley, Leticia Pedroza e André Lemos completam a escalação. “Para os demais papéis chamei atores que conhecia ou com quem já tinha trabalhado. Nem foram necessárias aulas de canto, todos já vieram totalmente preparados”, explica João Fonseca. Cada um deles interpreta de três a sete personagens, desde os pais de Tim Maia e figuras célebres como Roberto e Erasmo Carlos, Elis Regina, Jorge Benjor, Carlos Imperial, Chico Buarque e o próprio Nelson Motta, até presenças pontuais como os irmãos, músicos, amigos, entre outros.

Do livro para o palco, o processo de transposição do texto foi todo muito orgânico e em parceria: “Fui amigo do Tim a vida inteira, sabia tudo dele. Então foi fácil e muito prazeroso escrever, porque o João Fonseca me ajudou muito com a sua visão teatral, cênica de espetáculo. Sou de uma escola jornalística, narrativa, linear, e ele me estimulou a criar cenas livremente. E Além desse auxílio luxuoso - e decisivo - do João, o espetáculo é uma obra em progresso, que foi sendo adaptada e ajustada durante os ensaios, de acordo com as possibilidades que se abriram. Para mim foi tudo novidade. E estou tomando gosto!”, confessa o autor.

A amizade com Tim, conta Nelson Motta, começou em 1969, quando produziu para o disco de Elis Regina o dueto que apresentou ao mundo o vozeirão do cantor, “These are the songs”. Por isso, é testemunha de histórias incríveis, como as aventuras vividas nos Estados Unidos, no início da carreira, graças a um improvável convite da Arquidiocese. A viagem não terminou bem: Tim voltou ao Brasil deportado, acusado de roubar um carro e de portar substâncias ilegais.

Postar um comentário