Google Imagens
Mais do que em qualquer ano anterior, a tecnologia de imagens tridimensionais (3D) será a grande atração deste NAB Show 2012, evento que será aberto hoje em Las Vegas e que atrai os maiores especialistas e mais de 80 mil profissionais das áreas de rádio, televisão, cinema e multimídia de 83 países.

Nesse cenário, ninguém estará mais sob os holofotes da fama e do prestígio que o diretor de cinema, James Cameron, que participa de palestras, mesas-redondas e entrevistas, para falar, principalmente, dos principais desafios técnicos da conversão do filme Titanic de 2D para 3D, realizada com apoio de 300 computadores.

A definição das imagens foi elevada de 2 para 8 megapixels, na técnica denominada 4K. Com isso, as projeções poderão ser feitas em telas muito maiores sem perda de qualidade, inclusive no caso de home theaters domésticos, com os discos Blu-ray 3D de super High Definition.

Lançada em 1997, a versão original em 2D do filme havia batido todos os recordes de bilheteria da história do cinema, com um faturamento de quase US$ 1,9 bilhão, até 2009, quando foi superado por Avatar, filme 3D do mesmo diretor, que alcançou a impressionante arrecadação de US$ 2,9 bilhões, e se tornou, até aqui, o campeão mundial. Alguns especialistas preveem que o Titanic, em 3D, possa faturar ainda mais do que a primeira versão em 2D, pois seu relançamento, com todos os recursos da tecnologia 3D, é beneficiado ainda pela celebração do centenário do naufrágio do famoso transatlântico, ocorrido no dia 15 de abril de 1912.

Novo paradigma. Ao ver a versão 3D do Titanic, o que mais surpreende o público especializado e altamente qualificado do ponto de vista tecnológico é a qualidade final da transformação das imagens do filme de sua forma original em 2D para a estereoscópica ou tridimensional, em um trabalho de computação que exigiu até a reprodução quadro a quadro (ou frame by frame) do longo filme.

Para os especialistas, o que ocorre hoje é uma quebra de paradigma em relação a tudo que conhecíamos acerca do velho cinema analógico, com filmes de celuloide. Mais ainda: a tecnologia digital está revolucionando não apenas o cinema, mas também a televisão e as imagens de todas as telas de dispositivos pessoais ou científicos.

No caso do Titanic 3D, um dos resultados dos novos avanços da tecnologia 3D é o impacto emocional muito mais forte, em especial nas cenas do desastre, com a invasão das águas no navio e da cena final do naufrágio, em que o Titanic se parte em dois.

Nas primeiras exibições e testes aqui em Las Vegas, a receptividade ao filme em 3D tem sido incomum. Mesmo aqueles que viram e gostaram do filme em 2D referem-se à versão 3D como sendo um filme totalmente novo e de impacto muito maior.

Desafio do conteúdo. O NAB Show é o maior evento de multimídia do mundo. Sua preocupação central é o desenvolvimento da tecnologia, mas, mesmo com todos os avanços da digitalização da TV e do cinema 3D, ambas as mídias têm hoje de enfrentar o desafio do conteúdo, que é oferecido simultaneamente em diversas modalidades de dispositivos móveis - como o smartphone e os tablets - e, em especial, pela internet, na modalidade chamada IPTV (televisão sobre protocolo IP). É o fenômeno já denominado Multiscreen Video Delivery (MVD) - ou seja, a distribuição de vídeo em muitas telas (de, cinema, televisores, laptops, smartphones e tablets).

Por essa razão, o tema geral do NAB Show 2012 é: 'A grande mudança no conteúdo'. Além da atualização de todos os aspectos profissionais relevantes, os palestrantes e especialistas se preocupam também em compreender os novos rumos do entretenimento e da comunicação audiovisual, não apenas da mudança tecnológica, mas das novas tendências e dos novos players (como as empresas de telecomunicações). Surgem novas formas de comércio móvel e, em especial, de publicidade móvel.

Estadão