Páginas

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

SEXTANIMAL - O que aconteceria se todos os gatos do mundo desaparecessem?


É notório que gatos descansam o dia todo em nossas poltronas, passando imagem de inúteis para algumas pessoas e até indispensáveis. Inclusive podem aparentar dependência de seus donos para se alimentarem, já que não dispensam um bom sono. No entanto, podemos estar completamente enganados.

De acordo com Alan Beck, professor de medicina veterinária e diretor do Centro para Vínculo Humano-Animal na Universidade de Purdue, os gatos são predadores especialistas com adaptáveis comportamentos de caça. "Eles são predadores significativos de pequenos animais, e podem sobreviver como animais quase solitários quando a presa é escassa, enquanto prosperam em alta densidade quando a presa é abundante” afirma.

Ao matar camundongos e ratos em celeiros e áreas de armazenamento de alimentos, os gatos são vitais para manter as pragas sobre controle. Na Índia, Beck disse: “Os gatos possuem um papel significativo em diminuir a quantidade de perda de grãos causada pelo consumo ou de contaminação por roedores. Em outras palavras, sem os gatos, os seres humanos teriam menos alimentos”.

Um estudo de 1997, na Grã-Bretanha, descobriu que o gato doméstico médio trouxe para casa mais de 11 animais mortos (incluindo ratos, pássaros, sapos e outros) no decurso de seis meses. Isso significava que os nove milhões de gatos da Grã-Bretanha mataram cerca de 200 milhões de espécimes silvestres por ano - não incluindo os gatos de rua. 

Um estudo realizado na Nova Zelândia em 1979 descobriu que, quando os gatos foram praticamente erradicados a população de ratos local rapidamente quadruplicou. Os ecologistas observaram que, como o número de ratos aumentou na ausência de gatos, a população de aves marinhas também declinou, devido aos ratos terem o hábito de comer seus ovos.

"Todas as espécies têm um impacto", disse Beck. E não vamos esquecer a carga emocional que a mortes em massa de gatos levaria para nós seres humanos. "Nos países, os gatos são muito amados. Apesar de existirem mais cães em famílias (38%) do que gatos (34%), na verdade existem mais gatos domésticos do que os cães porque os proprietários de gatos possuem mais de um. Gatos como animais de estimação sempre foram apreciados.”

Postar um comentário