Páginas

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Fifa pode mudar até seis regras do futebol; saiba quais

Quarta substituição pode ser permitida em prorrogações. Foto: Getty Images
Quarta substituição pode ser permitida em prorrogações
Foto: Getty Images

O Comitê de Força Tarefa da Fifa 2014 se reúne nesta quarta-feira, em Zurique, e discute possíveis mudanças na regra do futebol. São seis as pautas mais importantes, inclusive a comentada possibilidade de ser permitida a quarta substituição em jogos com prorrogação. 


A discussão visa determinar os tópicos para a reunião do International Football Association Board, o IFAB. Marcados por decisões conservadoras, os encontros do IFAB são realizados sempre entre fevereiro e março na chamada Assembleia Geral Ordinária.

Existe a possibilidade bastante considerada de admitir como regra as presenças de árbitros atrás dos gols e o spray para marcação de barreiras em cobranças de faltas, ambas já testadas no futebol brasileiro, inclusive no Campeonato Paulista. 

"Já enviamos relatórios com dados e imagens para um coordenador geral da Fifa sobre os árbitros auxiliares", informa o Coronel Marcos Marinho, chefe de arbitragem da Federação Paulista, ao Terra. "Participamos dessa discussão e minha opinião é de que depende da competição. Para divisões menores, o custo pode ser alto. Mas os auxiliares contribuem para o acerto dos árbitros. Eles que estão em campo é que dizem", afirma Marinho. 

Historicamente, mudanças importantes já foram feitas a partir dos encontros do IFAB. O acréscimo no fim dos dois tempos (1987), proibição da mão no recuo de bola (92), terceira substituição (94) ou a recente disposição sobre a paradinha em cobranças de pênalti são exemplos (2010). O ponto mais polêmico da regra na atualidade, entretanto, deve ser adiado outra vez. 

A implantação de tecnologia na bola para lances duvidosos sobre a linha será mais uma vez discutido pelo International Board, mas comunicado recente informa que ainda não haverá uma decisão definitiva. São oito diferentes tipos de tecnologias a serem discutidas. Um parecer final e que já visaria a Copa de 2014 pode ser tomado em julho, na Ucrânia, por conta da Eurocopa. 

Para selecionar a melhor tecnologia, é possível que o IFAB use o critério econômico para influenciar a decisão e permitir a maior abrangência possível do chip na bola para todas as divisões do futebol profissional. "Eles têm essa posição (conservadora), mas pode ser alterada. É um conceito apenas", acredita Marinho. 

Pela proximidade com o International Board, a imprensa inglesa acompanha as discussões mais de perto e acredita na quarta substituição como a mudança mais factível. "É algo que beneficiaria o espetáculo e as equipes. Não há ingerência na regra, acho interessante mexer nisso", afirma o Coronel Marinho. 

Para a mudança ser aprovada, ela deve ter o voto de pelo menos seis dos oito membros da Assembleia Geral Ordinária. Compõem o pleito quatro delegados da Fifa e membros de Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda, fundadores do IFAB. O sistema é utilizado desde 1958. 

O International Board surgiu em 6 de dezembro de 1882 por ingleses, escoceses, galeses e irlandeses para que se definissem as regras do futebol entre os quatro países. Em 1904, a Fifa foi criada e adotou as disposições do IFAB, que admitiria a entidade nove anos depois. 

Fonte: Terra
Postar um comentário

Follow My Spotify Playlist!