Páginas

sexta-feira, 8 de abril de 2011

SEXTANIMAL - São Moréias e não mocréias!

Sempre que lembro desses animais, lembro do seriado Baywatch pois havia uma cena num episódio em que alguém ficava preso no mar, dentro de uma caverna com moreias. Também as vejo muito nos aquários, principalmente de restaurante. Então, resolvi falar um pouco delas. Vamos lá!

As moreias são peixes ósseos, angüiliformes, da família dos murenídeos (Muraenidae), tendo como uma das suas principais características o corpo longo e cilíndrico. Há cerca de 200 espécies distribuídas por 15 géneros, das quais a maior mede 4 metros de comprimento. As moreias habitam cavidades rochosas e são animais carnívoros, que caçam com base num sentido de olfacto apurado. Não têm escamas , para protecção, algumas espécies segregam da pele um muco que contém toxinas. A maior parte das moreias não tem barbatanas peitorais e pélvicas. A sua pele tem padrões elaborados que servem como camuflagem.



Maxilar das Moreias

As moreias recebem o nome de Caramuru do povo indígena brasileiro Tupinambá e foi a alcunha dada por este povo ao português Diogo Álvares Correia, náufrago que viveu com estes índios.

Em Portugal, as moreias são pescadas para alimentação.

As espécies mais comuns de moreia na costa portuguesa são:

Moreia-pintada (Muraena helena) 
Moreão (Gymnothorax unicolor) 
Moreia-serpente (Enchelycore anatina) 
Moreia-preta (Muraena augusti) 
Moreão-amarelo (Gymnothorax vicinus)  
Moreia-pintada-de-natura (Gymnothorax polygonius


Fonte: Wikipedia

MORÉIA (Gymnothorax funebris
Características: peixe ósseo, robusto com corpo angüiliforme e roliço, mandíbulas poderosas e dentes desenvolvidos. Coloração esverdeada. É a maior das moréias brasileiras alcançando 2,5 m de comprimento e até 15 kg. Para respirar abrem e fecham a boca forçando a água para as brânquias, dando a impressão de querer morder. Também conhecida como moréia verde.
Habitat �
região de entre marés em tocas entre pedras e corais ou enterrada na lama ou areia do fundo . Comum em águas rasas, podendo também ser encontradas em grandes profundidades.
Ocorrência �
todo o litoral brasileiro.
Hábitos �
a gressiva quando provocada, mas na verdade as moréias são animais pacíficos, que quando tratados adequadamente chegam a vir comer na mão. Geralmente solitária, passa o dia em tocas, com a cabeça para fora, e sai para se alimentar à noite.
Alimentação �
peixes, moluscos e crustáceos.
Ameaças �
poluição e destruição do habitat.

Essa é das minhas:
moreia dourada
MORÉIA DOURADA (Gymnothorax miliaris)

 





Características � corpo com coloração m arrom escuro com numerosos pontos amarelos, menores na cabeça e maiores proximo à cauda onde eles são irregulares e confluentes.
Habitat �
recifes de coral e contornos da costa rochosos, a profundidades de 60 m.
Ocorrência �
todo litoral brasileiro
Hábitos �
espécie bentonica e solitaria. Ativo durante o dia e às vezes caça junto com outros predadores
Alimentação �
carnívora
Ameaças �
poluição, destruição do habitat e captura indiscriminada para aquariofilismo. 




MORÉIA PINTADA (Gymnothorax moringa)


moreia pintada


Características: todo o corpo apresenta diversas manchas e pintas marrom-escuras ou mesmo negras. A coloração de fundo varia do amarelo ao marrom. Freqüentemente, o dorso é amarelo e o ventre esbranquiçado. A margem anterior da dorsal é negra e as margens posteriores da dorsal, anal e caudal são brancas. Os jovens são mais escuros e apresentam a maxila inferior totalmente branca. Corpo alongado, robusto e moderadamente comprimido. A região ocipital (no alto da cabeça, posterior aos olhos) é bem elevada. Boca grande e maxilas poderosas com dentes bem desenvolvidos. Narinas anteriores com estruturas tubulares, porém sem estruturas tubulares nas narinas posteriores. Ausência das nadadeiras peitorais e pélvicas, de escamas e da linha lateral, mas há a presença de poros remanescentes na cabeça. Dorsal longa e contínua, ligando-se à anal através de uma pequena nadadeira caudal. A moréia é muito perigosa se manuseada viva devido à sua potente mordida - além das dilacerações provocadas, lacerantes e denteadas, que podem ser grandes e ocasionar hemorragia, a ferida normalmente infeccionada devido à enorme quantidade de bactérias existentes no material não digerido que permanece entre seus dentes.
Habitat �
recifes de coral e contornos da costa rochosos;
Ocorrência �
todo o litoral brasileiro
Hábitos � bentonicas e solitárias, ficam entocadas durante o dia vigiando os arredores com a cabeça na entrada de sua toca. Utilizam a cauda musculosa para fixar-se no fundo da mesma. Muito nervosa, ameaça qualquer coisa que a perturbe abrindo sua grande boca e é capaz de ataca e morder. À noite, quando é mais ativa, sai para capturar seu alimento. Ao contrário do que se poderia pensar, a moréia não sai de sua toca para atacar o homem. No entanto, se um mergulhador aproximar-se da entrada de sua toca, ela estenderá a cabeça para fora com a boca aberta ameaçadoramente. Se o �intruso� não notá-la a tempo, poderá ser mordido. É óbvio que se alguém colocar a mão justamente em sua toca, certamente será mordido. Quando morde, agarra e não solta facilmente. Visto que ela se prende ao fundo da toca, se puxarmos o membro atingido as lacerações serão muito maiores. Assim, deve-se manter o �sangue frio�, segurá-la firmemente logo após sua cabeça, puxá-la para fora da toca e levá-la para a superfície onde certamente será mais fácil remediar o ocorrido.
Alimentação �
constitui-se principalmente de peixes, crustáceos e polvos;
Ameaças �
sua carne é bastante apreciada e extensivamente consumida em algumas regiões, onde é comercializada fresca ou salgada. São capturadas com redes de arrasto, armadilhas, linha de mão e vara de pesca. Poluição e pesca predatória são as principais ameaças. 
Links Relacionados:

Postar um comentário