Páginas

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

SEXTANIMAL - Morcegos - Afinal quem são estes bichos?




Micronycteris hirsuta
Foto by Dr. Nancy Simmons
Os morcegos são mamíferos pertencentes à Classe Mammalia que caracteriza-se por animais vertebrados, possuidores de corpo coberto de pêlos e que nutrem seus filhotes no início de seu desenvolvimento por leite secretado pelas glândulas mamárias das fêmeas. Esta classe é subdividida em 19 ordens, entre as quais encontramos a dos Chiroptera, onde estão agrupados os morcegos. 
Algumas espécies já estão ameaçadas de extinção.

O nome Chiroptera origina-se de Chiro = mão e Ptero = asa, isto é, animais com a mão transformada em asa. É a segunda ordem em número de espécies, com aproximadamente 1000 espécies identificadas.

São os únicos mamíferos com capacidade real de vôo, propiciada pela membrana que une 4 dos 5 dedos do membro anterior, formando a asa. Outras espécies, como o esquilo-voador, apenas planam, após saltar de lugares altos.
 

Os morcegos ocorrem em quase todo o planeta, só não sendo encontrados em locais muito frios como nos pólos. São em geral pequenos, na grande maioria não excedendo 100 gramas de peso. 

A ordem Chiroptera é dividida em duas subordens: os Megachiroptera com uma única família Pteropodidae, e os Microchiroptera, que inclui todas as outras famílias.

Infelizmente, estes termos são um tanto quanto enganosos, já que alguns dos Megachiroptera são menores do que certos Microchiroptera. 

Apresentam hábitos crepusculares e noturnos e parte significativa das espécies orienta-se pela ecolocalização, emitindo sons de alta freqüência, inaudíveis ao homem, que ao esbarrar em algum objeto, retornam sob a forma de eco.
 

Os morcegos estão em quase todo o planeta, exceto naqueles locais muito quentes ou muito frios e em algumas ilhas isoladas.


Eles estão em todos os continentes menos na Antártica. Os morcegos hematófagos são encontrados apenas na América do Sul. Em ilhas muito longe dos continentes existem raras espécies de morcegos, fica muito difícil para os morcegos cruzarem grandes distâncias sobre os os oceanos para chegar até lá.
 

No Brasil nós temos morcegos de norte a sul, a quantidade de espécies varia de região para região, mas eles estão em todo nosso país.


Principais abrigos de morcegos:

  • nossas casas (forros, sótãos e porões, frestas na paredes e marquises)
  • construções abandonadas
  • torres e forros de Igrejas
  • cavernas e grutas
  • túneis, bueiros e passagens de gado sob as rodovias
  • silos
  • pontes
  • cisternas ou poços
  • copas e folhagens de árvores e arbustos
  • vãos de dilatação de prédios
  • ocos de árvores
  • fossos de elevadores
  • estábulos
  • cachoeiras

As quase 1.000 espécies de morcegos no mundo (138 espécies no Brasil - confira) comem os mais variados alimentos. Cada espécie tem seu próprio cardápio e são muito sofisticados à mesa. Assim, quase sempre são grandes aliados dos humanos. Os morcegos comedores de frutas, ou frugívoros, comem frutas é claro, e assim espalham sementes que logo se tornarão árvores, salvando desta forma nossas matas tão atacadas pela mão do homem. 
 

Nas regiões de cerrado e florestas como a Amazônia e Mata Atlântica,, os morcegos são os grandes responsáveis pela reflorestamento, sem eles as florestas estão condenadas. Alguns morcegos se especializaram em comer pólen, os da subfamília Glossophaginae ao passear de flor em flor vão fazendo a polinização e criando vida. Os carnívoros usam sua poderosa visão, a ecolocalização e sons emitidos de suas presas para encontrar comida. Morcegos pescadores capturam suas presas dentro d'água e usam a ecolocalização durante a pescaria.
 

Os morcegos hematófagos se alimentam de sangue, alguns de aves e pássaros, outros de grandes animais como vacas e cavalos. Estudos feitos com as substâncias anticoagulantes presentes na saliva destas espécies poderão ajudar a salvar vidas de pessoas com doenças do coração.


Como se pode ver, morcegos são a ordem de mamíferos com a maior diversidade de hábitos alimentares. Ao contrário do que se pensa, das quase 1.000 espécies de morcegos, apenas três se alimentam de sangue, sendo que apenas uma consome sangue de outros mamíferos. Há desde morcegos altamente especializados em um tipo de alimento, até aqueles que comem um pouco de cada coisa.

De acordo com a alimentação, podemos classificar os morcegos da seguinte maneira:

  • onívoros - utilizam vários dos itens citados abaixo em suas dietas.

  • frugívoros - comem os mais variados frutos, como mangas, bananas, amêndoas, figos, mamões, goiabas e principalmente frutos selvagens, como os gêneros Piper, Solanum, Cecropia (embaúba) etc. É muito comum vê-los em cidades, se alimentando em mangueiras e amendoeiras. São importantíssimos para as florestas tropicais, porque ao pegarem os frutos para comer, levam sementes para longe da planta-mãe, ajudando em sua dispersão e, conseqüentemente, na regeneração de áreas desmatadas.

  • nectarívoros/polinívoros - são morcegos que, como os beija-flores (aves) se alimentam do néctar e do pólen produzidos por muitas flores, como o maracujá-de-restinga e o ipê, entre outras. Às vezes, estes morcegos podem ser vistos bebendo água com açúcar colocada em bebedouros de pássaros.

  • folívoros - consomem folhas de diversas plantas, para complementarem suas dietas.

  • insetívoros - alimentam-se de insetos, incluindo mosquitos, besouros, gafanhotos e mariposas. Por isso, têm importante papel no controle de algumas pragas agrícolas.

  • carnívoros - caçam pequenos animais vertebrados, como ratos, pássaros, lagartos e até outros morcegos.

  • piscívoros - comem pequenos peixes, como sardinhas e barrigudinhos.

  • ranívoros - comem rãs, mas nenhuma espécie de morcegos alimenta-se exclusivamente de anfíbios. Um gênero que sabe-se ter esse hábito é o Trachops (Phyllostomidae), que também pode utilizar outros alimentos.

  • hematófagos - são os famosos morcegos-vampiros. Eles se alimentam exclusivamente de sangue de vertebrados, sendo os únicos cordados (filo Chordata) a terem essa especialização. Há apenas três espécies no Mundo, que ocorrem apenas nas Américas. Duas atacam aves (Diphylla ecaudata e Diaemus youngii) e uma ataca aves e mamíferos (Desmodus rotundus).

Importância dos morcegos:


Os morcegos são importantes pois comem toneladas de insetos por ano. Um bom e esperto morcego insetívoro pode devorar mais de 600 mosquitos por hora, fazendo assim um rigoroso controle de população.

Os morcegos comedores de frutas espalham sementes de centenas de espécies de árvores, contribuindo desta forma para a recomposição de nossas florestas e matas.


Uma variedade enorme de plantas depende quase que exclusivamente dos morcegos para espalhar suas sementes, perpetuando as espécies.


Há, pelo menos, 40 milhões de anos, eles se alimentam do pólen e do néctar das flores. A dieta, que pode ter se iniciado por acaso, faz com que esses animais contribuam para a regeneração das florestas e para a disseminação e distribuição de várias plantas.


Hoje, estima-se que aproximadamente 250 espécies de morcegos dependem parcial ou totalmente das plantas como fonte de alimento. Para se ter uma idéia da importância dos morcegos, basta dizer que cerca de dois terços das angiospermas das florestas tropicais do mundo são polinizadas por eles. A dispersão das sementes também faz com que eles sejam os principais responsáveis pela regeneração de florestas degradadas.


Um aspecto mais interessante dos morcegos é a capacidade que apresentam de se guiarem no escuro por meio de emissão de ultra-sons( ecolocalização ).


Os morcegos apresentam uma gestação de dois a sete meses, dependendo da espécie. Os insetívoros têm um período de gestação de dois a três meses, enquanto que os fitófagos (frugívoros e polinívoros), em torno de três a cinco meses. O mais longo período de gestação pertence aos morcegos hematófagos, tendo uma gestação em torno de sete meses. Os filhotes (geralmente um por gestação) nascem sem pêlos ou com uma pelagem tênue.
 

A organização social dos morcegos em muitas espécies baseia-se na presença de um macho dominante em relação a um grupo de fêmeas. A monogamia ocorre em poucas espécies. A longevidade destes animais pode chegar a 30 anos no caso dos morcegos hematófagos em média 20 anos para outras espécies. 

O período de amamentação varia de dois a quatro meses. 


Os morcegos procuram abrigos que possuam condições que atendam suas necessidades de temperatura, umidade, luminosidade e acasalamento. Utilizam cavernas, frestas em rochas, forros e sótãos, porões, edificações, folhagens e copa de árvores e palmeiras para serem ocupados como abrigos.


As áreas urbanas fornecem abrigo em suas construções para muitas espécies de morcegos insetívoros e fitófagos. A arborização urbana fornece abrigo nas copas e ocos das árvores, além de alimento através de flores e frutos. A iluminação da cidade atrai um grande número de insetos que são o alimento das espécies insetívoras.


Muitas espécies de árvores fornecem alimento para os morcegos frugívoros como por exemplo o abacateiro, amoreira, bananeira, café, cinamomo, espatódea, figueiras, goiabeira, mangueira, oitizeiro, jerivá, sapucaia e outras.


Os morcegos hematófagos voam de seus abrigos em busca de presas para se alimentarem. O vôo pode ser realizado a uma altura de 0,5 m a 10 m de altura, conforme a espécie e a presa a ser localizada.


Os morcegos só mordem para se defender. Ele tem muito mais medo do que você dele, pode ter certeza. Em caso de mordida, ou mesmo um arranhado por morcegos faça o seguinte:

1. lave o local com bastante água e sabão; 
2. não mate nem jogue fora o animal; 
3. procure orientação médica na Unidade de Saúde mais próxima de sua casa imediatamente; 
4. ligue para o Laboratório de Manejo de Animais Peçonhentos e Quirópteros ou órgão de saúde equivalente em sua cidade;isso é muito importante para você e para toda a comunidade, o morcego tem que ser examinado!


Postar um comentário