sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

SEXTANIMAL - BALEIA AZUL/Balaenoptera musculus



Quando se pergunta qual o maior animal da Terra, muita gente responde sem pestanejar que foi algum dinossauro. A resposta, porém, está errada! O maior animal do planeta é a baleia-azul! Ela pode ser encontrada em todos os oceanos do mundo, tanto no hemisfério Norte quanto no Sul.

Mas é difícil avistá-la porque ela não costuma nadar em águas rasas, próximo das praias; prefere as águas oceânicas. Os mergulhos da baleia-azul costumam durar de três a dez minutos, mas podem chegar a até 30 minutos. Nesses mergulhos mais longos, o animal pode atingir uma profundidade de até 200 metros (haja fôlego!).

A velocidade com que nada varia de cinco a 15 quilômetros por hora, mas pode chegar a 30 quilômetros por hora, quando a baleia-azul foge da orca, seu principal predador.


A alimentação deste gigante dos mares é basicamente composta de pequenos crustáceos, como o krill -- minúsculos camarões que vivem em cardumes flutuando próximo à superfície das águas. Uma baleia-azul adulta pode comer até duas toneladas de krill por dia.

As fêmeas da baleia-azul são maiores do que os machos. Os filhotes nascem com cerca de sete metros de comprimento e pesando, aproximadamente, duas toneladas e meia, após 11 meses de gestação.



Eles são amamentados por um período de sete meses, quando atingem quase 13 metros e 10 toneladas. Por causa de seu tamanho, a baleia-azul foi muito caçada no final do século 19 e no início do século 20. Aproveitava-se tudo do animal: a carne, o óleo (gordura), as barbatanas e até os ossos. 

Felizmente, em 1966, após a caça de mais de um milhão de baleias-azuis, o animal recebeu proteção no mundo inteiro. Acredita-se que havia cerca de 250 mil representantes da espécie no hemisfério Sul antes do período exploratório. Hoje, não há mais que 1.500, o que a coloca na lista dos animais ameaçados de extinção.

Apesar de o número de representantes da espécie estar aumentando no hemisfério Norte, dificilmente chegará perto do que se verificou no passado. Até porque o krill -- principal alimento da baleia-azul -- vem sendo capturado pelo homem e é também disputado por outros animais, como baleias, focas, peixes, pingüins e outras aves. No Brasil, a baleia-azul é muito rara. 

Durante 75 anos de caça no litoral brasileiro, apenas quatro foram capturadas e poucas mais foram vistas. O mais recente registro da espécie em nossas águas foi o de uma fêmea de 23 metros que encalhou no Chuí, Rio Grande do Sul. O esqueleto dela está no Museu Oceanográfico da Universidade de Rio Grande, também localizado no Rio Grande do Sul. Se estiver de passagem por lá, confira como é impressionante o tamanho da baleia-azul! 






A baleia-azul é um misticete pertencente aos rorquais, e é o maior animal que se sabe já ter habitado a Terra. Em média medem entre 23 e 25 m, mas podem chegar aos 30 metros de comprimento, e pesam cerca de 110 toneladas. As fêmeas são maiores que os machos da mesma idade e podem chegar a pesar 130 toneladas. Este tamanho só foi possível de alcançar por viverem exclusivamente no meio aquático, que ajuda a sustentar o grande peso dos seus corpos, que seria demasiado para ser suportado pelos seus ossos, caso vivesse em terra.

A sua alimentação parece consistir maioritariamente de pequenos crustáceos, principalmente eufasiáceos (parecidos com pequenos camarões), que são consumidos em grande quantidade. Devido aos sulcos que possui na parte inferir da boca que se expandem formando uma bolsa, o animal pode tomar um grande volume de água e alimento na boca. A água é em seguida expelida com o auxílio da língua, e corre através das "barbas" aprisionando o alimento. Desta maneira, durante o verão, uma baleia-azul pode consumir num único dia oito toneladas de alimento. 

Esta espécie é cosmopolita, isto é, pode ser encontrada em todos os oceanos, embora as populações tenham diminuído bastante devido à captura comercial.

Estes animais, de uma forma geral, fazem migrações pendulares deslocando-se durante o verão para latitudes mais altas, procurando as águas mais frias e altamente produtivas à volta das calotes polares. Durante o inverno retornam às águas tropicais ou temperadas onde ocorre a maior parte da actividade sexual e dos nascimentos.

A maturidade sexual é atingida por volta dos 10 anos de idade, ou quando os machos tem em média 22m e as fêmeas 24m. A gestação dura aproximadamente 12 meses e há um intervalo entre gestações que pode variar entre os 2 e 3 anos. As crias nascem em média com 7 a 8 metros de comprimento e com 2.5 toneladas. São amamentadas durante cerca de 8 meses, consumindo 380 litros de leite por dia, e quando se tornam independentes das suas mães têm 16 metros e pesam quase 21 toneladas.

Nos Açores têm sido vistas principalmente durante a Primavera e normalmente têm sido vistas em áreas circundantes a bancos submarinos. Estes bancos devem desempenhar um papel relevante na alimentação das baleias durante as migrações. No Outono de 2000, foram avistadas baleias azuis perto da costa da ilha do Pico, corroborando a hipótese de que também passam pelos Açores durante a migração inversa.


Ilustrações: Google
Postar um comentário

Follow My Spotify Playlist!