Páginas

domingo, 15 de agosto de 2010

Quais os pré-requisitos para ser um político no Brasil?

Ser um jovem com sonhos ou um velho com realizações?
Ter experiência ou conhecimento?
Ser popular ou desconhecido?
Morar no subúrbio ou no condomínio horizontal?
Estudar em colégio público ou particular?
Ganhar faculdade do governo ou pagar do próprio bolso?
Ser do povo?
Falar corretamente?
Ser pobre ou ser rico? Ah! Tem de classe média também.
Ter carisma ou ser aplicado?
Ser verdadeiro ou ensaiado?
...

Todas as alternativas acima.

Qualquer pessoa que estiver interessada pode se candidatar a cargo político (Veja os pré-requisitos). O difícil é fazer entender que todos nós somos o povo e podemos concorrer, afinal, o país é nosso. Somos, segundo o dicionário de português Priberam, um conjunto de habitantes de uma nação ou localidade. Isso quer dizer que não há distinção entre pobres e ricos, estudantes do ensino público ou privado, etc. Todos somos um. E, para ingressar na vida política, só é preciso interesse em realizar e manter melhorias.

Se um time de futebol ou qualquer outro esportista treina para atuar melhor na sua área, por que um político não pode ensaiar e gravar um vídeo de qualidade por exemplo?

Devemos respeitar e ouvir. Só devemos criticar quando há argumentos baseados em fatos e quando conhecemos os projetos, a viabilidade e sua aplicação.

Julgar as pessoas pelas oportunidades que elas tiveram, por sua condição de vida ou simplesmente pela "cara" é preconceito e ignorância. Se você vota a partir desse conceito, deve rever seus paradigmas.

Se quem tem formação acadêmica e veio de escola particular não pode ser político, por que deve-se investir em educação nesse país?
Postar um comentário