Páginas

quinta-feira, 8 de abril de 2010

O candidato também avalia o RH

   Quando uma pessoa está disposta a passar uma parte de sua vida analisando o mercado de trabalho para encontrar os melhores meios e caminhos de construir sua carreira, independente da formação, todos os profissionais, técnicos entre outros, devem saber que nem sempre os recrutadores conseguem ou sabem conduzir entrevistas, dinâmicas e testes.

   Digo isso baseado em minha própria experiência. Apesar de ter começado a trabalhar um pouco tarde, com 18 anos, desde o início, as empresas em geral, incluindo as especializadas em recrutamento e seleção, tem se mostrado despreparadas para o trabalho a que se propõem.

   Através de leituras em jornais, revistas e outros meios de informação focados para o mundo dos negócios e recursos humanos foi possível perceber que, para o sucesso profissional de qualquer pessoa, a primeira atitude que deve ser tomada é a análise dos recrutadores e lugares que estão envolvidos neste processo.

   Sendo assim, no intuito de colaborar com aqueles que almejam o sucesso de suas carreiras, aqui constam algumas dicas sobre como perceber se vale à pena investir nessa ou naquela oportunidade, que também servem de alerta para os profissionais de recursos humanos. Tudo do ponto de vista do candidato.

O primeiro contato:

 Já dizia o ditado: “A primeira impressão é a que fica!”. Logo, todo recrutador tem de ter em mente a importância do primeiro contato. Por isso, é preciso, em primeiro lugar, ser educado ao ligar para o candidato.

 1. Nunca insista mais de 3 vezes na ligação (chamada); assim como o candidato, mesmo que necessário, o recrutador não pode demonstrar desespero;


Exemplo: Uma recrutadora de um hotel me ligou às 9h30min da noite e deixou o telefone tocar até cair. Em seguida, ela ligou para o meu celular e chamou 3 vezes.


 2. Quando candidato atender ao telefone, cumprimente e identifique-se;



Exemplo: Já recebi ligação em que a pessoa não se identificou e logo começou a realizar uma série de perguntas. Isso ocorreu às 20h30min.


 3. Sempre especifique a vaga para qual o candidato está sendo recrutado.



Exemplo: lembram da recrutadora do hotel que citei acima? Ela queria marcar uma entrevista só por marcar. Não havia vaga em aberto. Ela sabia que abriria uma vaga, mas não sabia em que área. Já fiz entrevistas assim e, quando abriu uma vaga, me chamaram e fizeram as mesmas perguntas da primeira vez. Não tem problema! “Vivemos na Dinamarca.” Ah! A vaga não me interessava.


    Muitas empresas de RH esquecem que fazer entrevistas sem necessidade é perda de dinheiro e tempo para ambas as partes. É como realizar uma reunião de 1h ou mais e não decidir nada. O que acontece com freqüência também. Mas isso é chat para outra postagem.
Postar um comentário

Follow My Spotify Playlist!